Serrapilheira

Instituto Serapilheira anuncia 5ª chamada pública de apoio à ciência

Atualizada em 27/10/21 17:59.

Envio de propostas até 26 de novembro

Estão abertas as inscrições para a 5ª chamada pública de apoio à ciência do Instituto Serrapilheira. Jovens cientistas que desenvolvam pesquisas originais, ousadas e que tragam uma contribuição nova nas áreas de ciências naturais, ciência da computação e matemática podem enviar suas pré-propostas até 26 de novembro. Serão selecionados até 10 projetos, que receberão entre 200 mil reais e 700 mil reais cada, a serem distribuídos ao longo de três anos, com possibilidade de renovação.

Acesse o edital e o link para inscrições aqui.

Os proponentes devem ter vínculo permanente com alguma instituição de pesquisa no Brasil e ter concluído o doutorado entre 1º de janeiro de 2014 e 31 de dezembro de 2019. Esse prazo é estendido em até dois anos para mulheres com filhos. Na primeira fase da seleção, os candidatos devem enviar uma pré-proposta, que será avaliada pelos revisores internacionais a partir das respostas a seis perguntas: "Qual é a pergunta fundamental levantada pelo projeto?"; "Qual é a sua hipótese?"; "Como a hipótese será testada?"; "Como os resultados do projeto vão fazer avançar o entendimento fundamental na área?";  "Por que o projeto é original e ousado?" e "Como você avalia o risco do projeto?" .

A partir daí, candidatos pré-selecionados serão chamados para submeter a proposta completa e apresentar uma descrição detalhada do projeto científico, do orçamento, da equipe, da sua rede de colaboração atual e as estratégias para expansão dessa rede. A etapa final inclui uma entrevista em inglês com os proponentes.

Com a nova chamada, o Serrapilheira busca apoiar o desenvolvimento da carreira de jovens pesquisadores que, em busca da construção ou consolidação de suas agendas de pesquisa, proponham grandes perguntas em suas áreas de atuação. “Incentivamos os cientistas a pensarem no Serrapilheira como uma instituição disposta a apoiar projetos que envolvam estratégias de risco, desde que muito bem fundamentados cientificamente, e oferendo o tempo e a liberdade de que a ciência precisa para ser desenvolvida”, afirma Cristina Caldas, diretora de ciência do instituto.

 

Texto adaptado do site https://serrapilheira.org/ .

 

 

Fonte: Coordenação de Comunicação

Categorias: Notícias Noticias