Weby shortcut
prof marize ufg1

Conquista de prêmio destaca importância de recursos para pesquisa

Atualizada em 23/09/19 11:23.

A UFG recebeu quatro menções honrosas do Prêmio Capes de Teses 2019

Texto: Caroline Pires e Izabela Souza

 

A Universidade Federal de Goiás (UFG) comemora as quatro menções honrosas por teses recebidas pelo Prêmio Capes de Teses 2019. Além da escolha da tese de Túlio Eduardo Moreira como melhor trabalho na área de Odontologia, foram reconhecidas pela relevância teses produzidas pelo programas de pós-graduação em Educação, Ecologia e Evolução e Ciências da Saúde. Além de refletirem a dedicação individual dos recém intitulados doutores e de seus orientadores, o excelente desempenho obtido por eles é resultado do financiamento de suas pesquisas, por meio de bolsas obtidas junto a Capes a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás. O Prêmio Capes de Tese 2019 avaliou a originalidade do trabalho e sua relevância para o desenvolvimento científico, tecnológico, cultural, social e de inovação.

Renato Ávila, egresso do Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde, recebeu menção honrosa por sua tese que explorou métodos alternativos ao uso de animais para experimentação, sob orientação da professora Marize Valadares, da Faculdade de Farmácia da UFG. Renato comemorou o aceite e publicação de cinco artigos em importantes revistas científicas internacionais na área. Antes mesmo de ser concluída, a pesquisa recebeu o  Lush Prize 2017, um concurso internacional que premia trabalhos científicos que viabilizem o fim de pesquisa em animais.

 

prof marize ufg1

Renato Ávila, doutor pelo Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde e sua orientadora, Marize Valadares

 

Para a orientadora da tese, Marize Campos Valadares, professora da UFG há 16 anos, a menção honrosa foi um indicador de que a universidade se encontra no caminho certo e lamenta os contingenciamentos que a educação vem enfrentando. “Não existe educação e ciência sem recursos. Um país que não investe em educação, prioritariamente não cria as condições para uma sociedade justa e igualitária”, apontou a professora.

Já Renata Carvalho teve sua menção honrosa por sua tese que avaliou o Plano Nacional de Educação e as Universidades Estaduais Brasileiras, sob orientação do professor Nelson Cardoso Amaral, da Faculdade de Educação. Para viabilizar sua pesquisa, Renata recebeu bolsa da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (FAPEG) durante quase 2 anos, segundo ela, esse recurso foi fundamental para o êxito em sua pesquisa.  “A bolsa nos possibilita ter acesso aos livros e materiais que precisamos, além de congressos e eventos da área. Tive a oportunidade de focar em minha tese e isso foi muito importante”, afirmou Renata, que já está realizando seu projeto para o Pós-doutorado.

 

renata ramos ppge ufg

Prof.ª Lúcia Assis/FE, Renata Carvalho e prof. Nelson Cardoso Amaral/FE

 

Estudando os efeitos das mudanças climáticas na distribuição geográfica de diferentes espécies, a tese de Lilian Patrícia Sales Macedo também recebeu menção honrosa no Prêmio Capes 2019. A doutoranda conta que enfrentou alguns desafios ao redigir sua tese, mas contou com apoio de seu orientador, Prof. Rafael Loyola e o auxílio da bolsa doutorado da CAPES, além da licença maternidade. “Este recurso significou o meu sustento e de minha família. Seria impossível concluir a Pós-Graduação e gerar produtos de qualidade sem a dedicação exclusiva que a bolsa propicia”, explicou.

O professor Rafael Loyola, que orientou a pesquisa, comemorou a conquista de Lilian e lembrou que há 10 anos ele venceu o mesmo prêmio. “O perfil dos alunos que ganham o prêmio é um forte indicador de que o desmonte que estamos vendo ao sistema nacional de Pós-Graduação e os ataques às universidades claramente não se justificam”, concluiu o coordenador da Pós-graduação em Ecologia e Evolução, José Alexandre Felizola Diniz.

Já a tese de Igor Pereira trata sobre o desenvolvimento e aplicação de técnicas modernas para análise de pesticidas em alimentos também recebeu menção honrosa no Prêmio Capes de Tese 2019. Segundo ele, a cooperação com o orientador Boniek Gontijo Vaz foi essencial durante o período de orientação. “Ele sempre me deu liberdade para usar a criatividade e propor novos projetos”, conta o pesquisador.

Igor foi financiado pela CAPES durante os quatro anos de doutorado e afirma que sem a bolsa teria sido impossível conseguir tal premiação além de publicações em importantes revistas internacionais. Para o professor Boniek, a premiação incentiva os pesquisadores da UFG a trilharem o caminho para desenvolver uma ciência de grande impacto que poderá mudar definitivamente a situação em nosso país.

 

igor pereira aluno ufg1

Igor Pereira destacou a parceria com o orientador como um critério facilitador para a produção de sua tese

 

Melhor tese em Odontologia

O Programa de Pós-graduação em Odontologia da UFG recebeu o prêmio de melhor tese na área com o estudo de Túlio Eduardo Nogueira, orientado pelo professor Cláudio Rodrigues Leles (FO/UFG) e co-orientado por Shahrokh Esfandiari (McGill University - Canadá). Neste ano, o Prêmio Capes teve recorde de inscrições, com 1140 candidaturas. Ao todo, foram premiadas uma tese de cada uma das 49 áreas de avaliação e outros 93 trabalhos foram agraciadas com menções honrosas.

 

Fonte: SECOM e PRPG

Categorias: NOTICIA notícias Noticias Notícia